English Spanish Brasil Français

Zoom no Panthéon

Publicado em outubro 15, 2014 por Abella | Categoria :

PantheonCom certeza você deve saber que no Panthéon repousam “”grandes homens””, símbolos de diversas épocas. A cripta está situada no 5° arrondissement de Paris. 7 milhões de turistas a cada ano visitam o monumento, que abriga atualmente 72 grandes homens, dos quais Voltaire e Jean-Jacques Rousseau (precursores da Revolução Francesa), Victor Hugo e Émile Zola (escritores engajados do século XIX), Pierre e Marie Curie, Jean Jaurès, Jean Moulin, André Malraux, entre outros.

Mas a história do Panthéon vai muito além do que sua função de necrópole: ele só se tornou um local laico que homenageia os grandes homens da nação a partir da Revolução Francesa (em 1791, depois do falecimento de Mirabeau). No início, era uma igreja (igreja de Sainte-Geneviève) construída por Jacques-Germain Soufflot sob as ordens do rei Luís XV em 1744, e edificada entre 1764 e 1790.
No século XIX, durante o reinado de Napoleão, sua função oscila entre local de culto cristão e templo laico. Em 1885, com a morte de Victor Hugo, o Panthéon é designado pela 3a República como um espaço de celebração dos grandes homens tal como a conhecemos nos dias atuais.

O Panthéon abrange uma nave e uma cripta, relíquias da sua função religiosa inicial. Depois da Revolução Francesa, ele é modificado para adaptar-se à sua nova função de templo laico: os objetos religiosos e monárquicos originais são substituídos para conferir austeridade, as referências escolhidas escondem o aspecto gótico do Panthéon e as decorações são centradas nas virtudes cívicas.
O pêndulo de Léon Foucault é a primeira experiência concreta que conseguiu provar o que Copérnico e Galileu haviam suposto: a terra gira em torno do sol. Esse grande pêndulo é suspenso por um cabo de aço a 67 metros de altura. Foi instalado em 1851, durante um período laico do Panthéon, já que as teorias anticlericais confrontam o pensamento da Igreja católica.

Desde fim de janeiro de 2013, obras de restauração foram iniciadas para resolver os problemas de estrutura do edifício. Ao visitá-lo, você tem livre acesso à nave e à cripta e pode ver uma reprodução do pêndulo de Foucault. O monumento permanece aberto durante as obras, mesmo se a visita de certas partes está limitada. Trata-se de um dos maiores canteiros de obras de restauração da Europa.

Deixe uma resposta